O que fazemos

A ABPF presta uma gama muito grande de serviços à sociedade. Dentre eles citamos os serviços para:

Visitantes – criação e manutenção de museus ferroviários e viagens em trens históricos cuidadosamente restaurados de acordo com suas características originais. Durante a viagem, monitores especialmente treinados falam sobre a história da ferrovia, do trajeto em questão e da ABPF.

Administração Pública – O status de OSCIP da ABPF permite a realização de convênios com entes da administração pública para a realização de consultoria sobre preservação ferroviária (estudo de viabilidade de implantação de trens históricos e turísticos, por exemplo) e restauração e operação de locomotivas, carros, vagões, estações e demais instalações ferroviárias fixas ou móveis. Alguns dos projetos mais recentes incluem:

  • Ministério dos Transportes: Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e de Gestão visando a reativação da EF Madeira Mamoré em Porto Velho-RO.
  • Prefeitura de Petrópolis-RJ: Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica visando a reativação da E.F. Príncipe do Grão Pará.
  • Prefeitura de Monte Alegre do Sul-SP: restauração de locomotiva a vapor
  • Prefeitura de Viana-ES: Estudo de Viabilidade Técnica para implantação do Trem das Montanhas e do Trem do Parque do Imperador.
  • Prefeitura de Conceição da Barra-ES: Estudo de Viabilidade Técnica para a implantação de ferrovia turístico-cultural e restauração de locomotiva a vapor.
  • Prefeitura de São Carlos-SP: Estudo de Viabilidade Técnica para a implantação de trem turístico e bonde turístico.

Interessados em Preservação Ferroviária: a ABPF coleta equipamentos e documentos que retratam a história ferroviária do Brasil. Os equipamentos são restaurados de acordo com características originais e são abrigados em nossos museus.

Realizações

Como fruto de seu trabalho desde 1977, a ABPF pode enumerar algumas de suas realizações:

  • A Estrada de Ferro do Vale do Bom Jesus foi operada pela ABPF de 1991 a 1997 a em convênio com a Secretaria de Estado de Turismo de São Paulo, ligando os municípios de Pedregulho-SP a Rifaina-SP num total de 33,5 km de extensão com tração a vapor, atravessando grande parte do Parque Ecológico de Furnas do Bom Jesus, sendo uma das mais belas paisagens do estado.
  • Campanha nacional pela não erradicação da Estrada de Ferro Oeste de Minas, sediada em São João Del Rei, que além de bem sucedida provocou a criação do programa PRESERFE, do Ministério dos Transportes, que preservou os 12 km da ferrovia entre São João Del Rei e Tiradentes e criou diversos museus ferroviários em todo o Brasil.
  • Iniciativa e participação em ação de caráter nacional para o salvamento e recuperação da Estrada de Ferro Madeira – Mamoré, em Porto Velho, RO, depois tombada pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) do Ministério da Cultura.
  • Pedido de Tombamento da Estrada de Ferro Perus- Pirapora, em Cajamar, SP, e elaboração de projeto para transformação em ferrovia histórica e turística, assessoria ao Condephaat para os estudos de tombamento homologado em 1987.
  • Operaçãodo do único sistema funicular ferroviário do mundo com lobobreques, entre o 5º e 4º patamares da São Paulo Railway na Serra do Mar, em Paranapiacaba, de 1986 a 1992.
  • Iniciativa de restauração da locomotiva a vapor nº 353 da antiga E.F. Central do Brasil, em 1982, transformada no símbolo da R.F.F.S.A. e realização de várias excursões ferroviárias com essa locomotiva, partindo da Estação da Luz, em São Paulo. Depois de vários anos, em 1997 foi cedida a ABPF.
  • Organização de excursões e viagens de estudos a locais de interesse, abertas ao público.
  • Campanha permanente de promoção do patrimônio histórico ferroviário brasileiro.
  • Convênio firmado com a RFFSA e PROFAC (Programa Ferroviário de Ação Cultural), para a implantação de Centros Culturais Ferroviários, funcionando em Barbacena, MG, Itacuruçá, RJ, e Santos Dumont, MG.
  • Convênios com a RFFSA para a preservação de material rodante e estações de valor histórico.
  • Contrato com a Estrada de Ferro Campos do Jordão para a implantação de trem com tração a vapor, na parte plana da Estrada, bem como treinamento para operação de locomotiva a vapor, nos anos de 1993 e 1994.
  • Implantação do trem histórico a vapor na cidade de Cruzeiro,SP, até Rufino de Almeida, e posteriormente até o Túnel da Mantiqueira, em parceria com a Prefeitura de Cruzeiro e RFFSA. Este trem operou de 02/10/1997 até meados de 2003. Hoje este trem faz parte da Regional Sul de Minas.
  • Condução do Trem Presidencial realizado em quatro de julho de 1997, por ocasião da inauguração do contorno ferroviário da cidade de Curvelo,MG. Este trem foi tracionado pela locomotiva nº 1424, da antiga E. F. Central do Brasil e quatro carros de passageiros, em madeira. A ABPF, operou esse trem por solicitação da RFFSA e posteriormente recebeu a seção da locomotiva nº 1424 que hoje opera no Trem das Águas em São Lourenço, MG.

Trabalhando com o apoio de seus associados espalhados entre as Regionais da Associação, e de diversas entidades governamentais e empresas particulares, a ABPF tem conseguido contribuir para o conhecimento da história da nossa sociedade e cultura, bem como das técnicas e tradições nacionais ligadas ao setor ferroviário, promovendo a formação de uma consciência preservadora, fruto da compreensão do valor do patrimônio cultural em geral e do patrimônio ferroviário em particular.

2 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *