Regionais e Núcleos

A ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária) começou em São Paulo capital e mais tarde foi para Campinas onde começou a operar a primeira ferrovia preserva do Brasil, a Viação Férrea Campinas Jaguariúna.

A entidade sempre teve como objetivo a preservação ferroviária a nível nacional, não apenas de uma região. Com o seu crescimento, foi necessário subdividir a mesma em regionais e mais tarde, em núcleos.

Regional de Campinas

A regional de Campinas foi a primeira regional da ABPF, criada para o primeiro museu dinâmico da ABPF, a Viação Férrea Campinas Jaguariúna, que liga Campinas (estação de Anhumas) a Jaguariúna.

Além do passeio de trem, a regional mantém as oficinas e depósitos de Carlos Gomes, onde são feitos os trabalhos de restauração de locomotivas, carros e vagões.

Museus Dinâmicos (trens turísticos):

Cidades que atua:

Oficinas:

  • Oficinas de Carlos Gomes

Regional Paraná

A regional do Paraná tem como base a cidade de Curitiba, onde é mantida uma oficina de manutenção e restauração de material ferroviário. No momento a regional não possui nenhum trem em operação regular, mas já restaurou locomotivas a diesel, carros de passageiro e possui um belo acervo de material rodante, além de um pequeno museu.

O maior projeto da regional no momento é a implantação de um trem turístico entre as cidades de Morretes e Antonina. Para tal foi feita uma parceria com a Regional de Santa Catarina, que esta dando apoio na restauração de uma locomotiva a vapor e carros de passageiros.

Museus Dinâmicos (trens turísticos):

  • Trem Antonina Morretes (em implantação)

Cidades que atua:

Oficinas:

  • Oficinas de Curitiba

Regional Porto Novo

Esta regional tem como sede a cidade de Porto Novo, onde realiza a restauração de peças de material rodante.

Cidades que atua:

Regional do Rio de Janeiro

Esta regional foi criada com o intuito de preservar as ferrovias fluminenses, em especial a Leopoldina. Conseguiu reunir um grande acervo da mesma, mas devido a falta de cooperação da RFFSA e de outras entidades, não conseguiu manter a operação dos trens turísticos. O material foi então transferido para outras regionais da ABPF.

Atualmente a regional mantém um museu de sinalização ferroviário na cidade do Rio de Janeiro, além de uma belíssima maquete de ferromodelismo.

Museus:

Cidades que atua:

Regional Santa Catarina

A regional de Santa Catarina atua nas cidades de Rio Negrinho, Apiúna, Piratuba e em Marcelino Ramos (esta ultima no estado do Rio Grande do Sul).

Esta regional opera três museus dinâmicos (trens turísticos), o Trem da Serra, Trem das Termas e a Estrada de Ferro Santa Catarina.

A regional de Santa Catarina foi fundada em março de 1993 na cidade de Rio Negrinho, onde reuniu um grande número de pessoas aficionadas por trens, que anualmente promoviam passeios de trem com locomotivas a vapor com apoio Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima (RFFSA). Esse evento motivou a criação de uma regional da ABPF no sul do País, com o movimento, surge muitos associados no estado. Em março de 1994 inicia o grande trabalho de coleta de material ferroviário da ex Rede de Viação Paraná Santa Catarina e RFFSA. Com a chegada de duas locomotivas a vapor e alguns carros de passageiro é possível iniciar os primeiros passeios, chamados de “Museus Dinâmicos”, foi uma composição que percorreu inúmeras cidades no estado de Santa Catarina e também no Paraná, eram trens itinerantes que levavam a cultura e tradição do famoso trem de passageiros e ocorria normalmente em datas comemorativas nas cidades que passava. Esse trabalho da ABPF-SC fez com a regional se tornasse conhecida, passou por cidades do ramal de São Francisco como Joinville, Jaraguá do Sul, Guaramirim, Corupá, Mafra, Canoinhas e Porto União. No meio oeste realizou passeios em todas as cidades deste Caçador à Piratuba. Na linha Tronco Sul nas cidades de Papanduva, Irineópolis, Monte Castelo e Lages, também nas cidades do Paraná como Rio Negro, Lapa e Curitiba. Em Rio Negrinho logo surge um passeio no trecho da serra conhecido como “Ferrovia das Cachoeiras”, saia de Rio Negrinho indo até Corupá, mas por ter um percurso muito longo foi substituído pelo famoso Trem da Serra do Mar.

Museus Dinâmicos (trens turísticos):

Cidades que atua:

Oficinas:

  • Oficinas de Rio Negrinho

Postos de Manutenção:

  • Depósito de Piratuba
  • Depósito de Apiúna

Regional de São Paulo

A Regional São Paulo (ABPFSP), trabalha para a preservação da memória da “São Paulo Railway – SPR”. A regional mantem dois museus dinâmicos (trens turísticos), sendo um na Mooca em São Paulo e outro na vila ferroviária de Paranapiacaba, em Santo André.

Museus Dinâmicos (trens turísticos):

Cidades que atua:

Oficinas:

  • Oficinas da Mooca

Postos de Manutenção:

  • Depósito de Paranapiacaba

Regional Sul de Minas

A regional Sul de Minas atua no sul de Minas Gerais, mais especificamente nas cidades de Passa Quatro, São Lourenço e Soledade de Minas. Além das cidades mineiras, a regional possui sua principal oficina de locomotivas em Cruzeiro – SP.

Esta regional é responsável por operar dois museus dinâmicos (trens turísticos), o Trem da Serra da Mantiqueira e o Trem das Águas, além de estar realizando a implantação do Trem de Guararema.

A principal linha de atuação da regional é a preservação da antiga “The Minas and Rio Railway”, ferrovia que liga Cruzeiro a Três Corações. Dos 170kms originais da ferrovia, restam apenas 20kms em condições operacionais, preservados pela ABPF.

Site oficial: Regional Sul de Minas

Museus Dinâmicos (trens turísticos):

Cidades que atua:

Oficinas:

Postos de Manutenção:

Núcleo de Estudos Oeste de Minas

Núcleo de Estudos Oeste de Minas da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária – ABPF/NEOM foi oficialmente criado em 23 de janeiro de 2010. Os trabalhos do ABPF/NEOM dão continuidade aos trabalhos iniciados em São João del-Rei e região pela Associação São-Joanense de Preservação e Estudos Ferroviários – ASPEF, fundada em setembro de 1999, visando a preservação e manutenção dos remanescentes da Estrada de Ferro Oeste de Minas – EFOM, além de estimular estudos sobre as ferrovias em Minas Gerais.
O ABPF/NEOM tem como objetivo a participação de historiadores, arquitetos, entre outros profissionais que dediquem seus esforços acadêmicos e intelectuais sobre o grande tema “ferrovias”, principalmente no tocante ao campo interdisciplinar e colaborativo sob a temática do patrimônio.

Site oficial: Núcleo de Estudos Oeste de Minas

Núcleo de Rio Claro

Interior do museu de Rio Claro

Interior do museu de Rio Claro

O Núcleo Rio Claro possui uma pequena exposição permanente de peças em sua sede, oriundas de várias estradas de ferro de São Paulo. O acervo conta com uma mesa de telégrafo, placas ferroviárias e algumas curiosidades, como um antigo ventilador utilizado nos carros de passageiros e um telefone em formato de trem, além de uma maquete de ferreomodelismo para uso dos associados e visitantes. O mobiliário também é oriundo das antigas ferrovias paulistas.

Site oficial: http://abpfrc.blogspot.com

Cidades que atua:

Museus

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *